Aviso à navegação

Em virtude de certos comentários recentes feitos por pessoas que me levam mais a sério do que eu próprio me levo, sinto-me forçado a fazer este aviso:

Este blog não é a sério.

Vamos agora aos seguintes pormenores:

  1. O blog é IDIOTA como se encontra bem explícito no seu título. Escrito por um idiota. Com ideias idiotas. Obviamente só para uma audiência de idiotas. Se não é o seu caso, por favor pare imediatamente de ler e clique já noutra página.
  2. As «opiniões» que irá encontrar neste blog não são «teses científicas» nem «trabalho jornalístico de investigação». Tal como é dito no canto superior direito, não são sequer «opiniões». São divagações insanas de um autor que não tem juízo. Trate-as, pois, exactamente como é suposto tratar de coisas insanas: ignorando-as.
  3. Este blog existe desde 1995 sob o endereço http://homepage.esoterica.pt/~lms. Isso mesmo: 1995. A maior parte das pessoas nem sequer sabe que existia Internet nessa altura. O autor insano deste blog idiota nessa altura divertia-se a construir a Internet comercial em Portugal — arregaçando as mangas, juntando-se com uns amigos, e pondo isto tudo a funcionar. Portanto, sim, tenho uma vaga ideia de como é que as coisas funcionam. Muito vaga.
  4. Já me candidatei ao prémio de pior site da Internet. A sério. Não ganhei, mas conheço uma pessoa que o ganhou. O que aprendi com essa pessoa foi:
    • Escrever sobre assuntos que não interessam a ninguém
    • Escrever grandes artigos
    • Escrever muito, mas muito esporadicamente, e de forma irregular
    • Ilustrar com imagens que nada têm a ver com o texto
    • Usar expressões pseudo-intelectuais que não façam sentido e que confundam em vez de esclarecer
    • Fazer links para coisas completamente inúteis e não relacionadas com o assunto
  5. Não tenho piada. Mas também não afirmo em lado nenhum que tenha.
  6. Mas também não digo nada a sério. Uso frequentemente sarcasmo e ironia, duas artes de confundir quem se dá ao trabalho de me ler e parecer que se calhar não sou tão idiota como afirmo ser. Mas sou. Qualquer idiota pode usar sarcasmo e ironia.
  7. Não ligo grande coisa às opiniões dos outros sobre mim. Mas também ainda dou menos importância à minha própria opinião sobre mim próprio. Sendo assim, porque é que
    1. Ainda se dá ao trabalho de estar a ler até aqui?!
    2. Ainda por cima vai meter um comentário!!
  8. Já há demasiadas net celebrities. Eu quero ser uma net anonymity. Defendo o meu direito a ter opiniões inconsistentes, ilógicas, mal argumentadas, idiotas, parvas e irracionais. Defendo, em particular, o direito de as exprimir tendo a certeza de que ninguém, no seu perfeito juízo, perderia um nanosegundo que seja a lê-las (a começar por mim!). A isto chama-se liberdade de expressão: ter o direito de me exprimir como quiser com a segurança e o conforto de que ninguém está disposto a ouvir-me e muito menos a comentar o que ouviu.
  9. Obviamente, que quem quiser mesmo assim perder o seu tempo a ler estas páginas, é muito bem vindo. Não espere, é claro, que vá travar uma conversa intelectualmente estimulante com o autor, porque não vai. Um autor idiota, divagando insanamente, não tem muito para partilhar senão a insanidade, a divagação, e a idiotice. Porque espera então encontrar o contrário?
  10. Não espere, igualmente, o «direito a resposta». Sempre me irritaram as pessoas que estão à espera que a malta lhes responda, só porque mandaram um comentário qualquer a dizer mal do autor. Ora essa! Eu tenho mais que fazer do que andar a ler comentários. A sério. Posso ser idiota, mas não sou estúpido ao ponto de pensar que há coisa mais importante do que responder a comentários! Porque não há. Amanhã metade do mundo já se esqueceu de mim e de si. Depois de amanhã, foi-se a outra metade. Puft. Sic transit gloria mundi. Os 15 minutos de fama que os americanos consideram que toda a gente deveria ter direito são 15 picosegundos na ‘net. Eu felizmente já gastei os meus.

Se nenhum dos argumentos anteriores o convenceu e mesmo assim acha que deve vir para aqui espiolhar e escrever comentários e perder o seu tempo… pense bem um bocadinho. Os artigos neste blog são publicados com uma licença Creative Commons 3.0 Attribution: por outras palavras, são publicados de borla, com direito a cópia. Se alguma pessoa achasse que a minha opinião valia mesmo alguma coisa, acha que eu estava a perder tempo a escrever aqui de borla? Sou idiota mas não sou parvo! Já vendi artigos ao jornal britânico The Guardian por £250. Sério. Não, não vou meter aqui links para esse artigo; não faço publicidade de borla ao The Guardian, nem estou aqui para lhe poupar trabalho.

Ainda está a ler isto?

Então para si, que não desistiu, cá vai o bónus: Caveat lector. Sim, sou responsável pelos artigos e comentários que escrevo, mas não presumo absolutamente nada sobre os assuntos que escrevo. Tenho tanta credibilidade nas minhas opiniões como o Ricardo Araújo Pereira nas suas piadas. A única diferença é que o RAP faz rir milhões de pessoas (dos dois lados do Atlântico!) enquanto que eu só faço rir uma: eu próprio.

Se me levou a sério em qualquer um dos artigos que escrevi, esse é um problema única e exclusivamente seu. Se ficou ofendido, pior ainda: a ofensa é só sua. Eu provavelmente nem o conheço. Nem sabia qual era a sua opinião. Mesmo que soubesse, provavelmente dava-lhe tanta importância como a minha: ou seja, absolutamente nenhuma. Nenhum artigo ou comentário meu neste blog tem a mais pequena intenção de incomodar ou ofender alguém. Se parece que assim é, volte ao início deste parágrafo e leia-o repetidas vezes até o compreender.

Dito isto, de nada vale a pena insultar-me de alto abaixo chamando-me de idiota: eu comecei primeiro! Está logo ali, no topo do seu web browser. Está a ver? Começa por: «Um blog idiota…» Viu bem? Respire fundo três vezes, interiorize bem que é com um idiota que está a falar, um idiota que, em 2012, já escrevia artigos idiotas há dezassete anos no seu blog, e que já ouviu todas e mais algumas opiniões idiotas que se possam imaginar. A maior parte das quais saiu da sua própria boca.

Anúncios